top of page
  • Foto do escritorKika Mesquita

The Town vira pista de dança no primeiro dia do segundo fim de semana de festival


The town são paulo ludmilla maroon 5
Foto: Reprodução / Wesley Allen

Maroon 5 e Ludmilla foram destaque no Skyline, enquanto o The One teve programação celebrando a música preta. Público curtiu com muito conforto, aproveitando brinquedos e espaços como São Paulo Square


O The Town voltou com tudo nesta quinta-feira, 7 de setembro. Com mais um dia de ingressos esgotados, o maior festival de São Paulo reuniu pessoas de todas as idades que vieram à Cidade da Música curtir o feriado com um repertório que une gerações. O clima foi de festa, romance, alegria e tranquilidade. Os apaixonados foram embalados pelos shows de Maroon 5 no Skyline e Ne-Yo no The One – que teve line-up dedicado a celebrar a música preta. Ludmilla, a rainha da favela, mostrou que também tem seus súditos no The Town e colocou todo mundo para dançar com grandes sucessos e protagonismo de seu balé. Os fãs de R&B e Soul tiveram seus momentos com Joss Stone e Masego. Já quem possou pelo São Paulo Square conferiu todo virtuosismo do aclamado guitarrista Stanley Jordan, trazendo o melhor do jazz para o festival. Além de música, o dia foi marcado por muita diversão nos brinquedos e gastronomia de primeira no Marquet Square.


Para Charlles Marcley, 49, artista visual que já esteve em cinco edições do Rock in Rio, a organização do festival paulistano está funcionando muito bem nesta quinta-feira. “É o nosso primeiro dia aqui no The Town e estamos encantados com a estrutura. Está fantástico! Tem muitas opções, tanto em termos de música quanto em termos de alimentação. Quando chegamos, o Hodari estava se apresentando. Não conhecíamos ele, mas o som foi muito bom. Sentamos aqui na frente do palco Factory, pegamos uma comida e aproveitamos o show. Moramos aqui em São Paulo e viemos para cá de trem. Tudo muito organizado e sem estresse. Mais tarde, veremos o show do Maroon 5”.


O Market Square reuniu aqueles que não abrem mão da boa gastronomia. Quem esteve no espaço pôde aproveitar um cardápio assinado pelo Chef Alex Atala, inspirado nos bairros da capital paulista, comprar cervejas artesanais para harmonizar com os pratos, além de bebidas não alcoólicas. E o que tem feito mais sucesso por aqui é sanduiche de pernil, representando o Centro, seguido pelas massas do Bexiga. “Frequento muitos shows e nunca vi uma estrutura de alimentação como essa. O local é bem agradável e com boa quantidade de lugares para poder comer de maneira confortável. Experimentei o sanduíche de pernil e gostei muito. Vou voltar no fim de semana e pretendo comer novamente”, conta o coordenador de marketing Bruno Bezerra, 34.


O conforto do espaço foi outro motivo de elogio do público, já que o Market Square é aclimatado e com um salão repleto de mesas e cadeiras, onde é possível se sentar e relaxar entre uma apresentação e outra. Jessica Santos, gerente de vendas de 32 anos, ressalta a climatização e tranquilidade do Market Square: “A proposta é muito legal! A gente consegue comer, conversar e descansar um pouquinho também. Comi um pastel e uma pizza de chocolate, que estavam muito saborosos”, comenta. Além do Market Square, a Cidade da Música conta com diversas opções de alimentação no gramado.


Ludmilla inceindeia Skyline e Maroon 5 embala público com muitos hits


A primeira artista a colocar os pés no Skyline hoje foi Ludmilla, investindo em uma apresentação repleta de hits, cenários e muita sensualidade. A carioca mostrou que São Paulo também curte um batidão quando surgiu no palco ao som de “É Hoje”, colocando todo mundo para dançar. Em “Sou má”, o público foi à loucura quando notas de dólares com o rosto da cantora caíram do céu, dando o tom da performance, que já é considerada uma das melhores do The Town.


Outro ponto alto foi a participação especial de Lulu Santos, que entoou um dos maiores sucessos de sua carreira, “Toda forma de amor”. Lud também relembrou suas origens ao homenagear Beyoncé, que inspirou seu primeiro nome artístico, com um chapéu fazendo referência ao figurino da norte-americana em sua nova turnê. Em um momento fofo, sua esposa, a bailarina Bruna Gonçalvez, recebeu um beijo da artista, que também teve os dançarinos com um dos pontos fortes do seu show.


Com um show mais intimista e também para dançar juntinho, se preferir, a britânica Joss Stone entregou uma apresentação que comemora os 20 anos de carreira e o lançamento do primeiro disco, "The Soul Sessions" (2003). Teve o hit "You Had Me", covers de Fleetwood Mac ("Dreams"), The White Stripes ("Fell in love with a girl") e Destiny's Child ("Say My Name") e até "Super Duper Love", música que embalou a novela brasileira Da Cor do Pecado.



Em seguida, o duo de DJs The Chainsmokers, formado por Alex Pall e Andrew Taggart, incendiou o público e, literalmente, as baquetas quando Matt McGuire – um terceiro membro não oficial, mas que por vezes participa das apresentações – assumiu a bateria. Com um setlist cheio de sucessos do próprio repertório e também de outros artistas, eles esbanjaram carisma ao solicitar que o público acendesse o celular em “Something Just Like This”, lançada em parceria com Coldplay.



A noite do palco Skyline encerrou com chave de ouro. Uma das bandas mais queridinhas dos brasileiros, o Maroon 5 colocou 100 mil pessoas para danças na Cidade da Música ao som de grandes hits do grupo. O carismático Adam Levine interagia com o público a todo o momento, arriscando até um português. “A gente não diz isso em todo lugar. O Brasil é o melhor lugar do planeta pra tocar”, cravou, enlouquecendo o público presente. Após uma sequência de hits, como "Moves Like Jagger", "Animals" e "Payphone", a banda comandada pelo galanteador Adam Levine fez uma breve pausa e retornou aos palcos com a camiseta da seleção brasileira para fazer emocionantes versões acústicas de “Won't go home" e “She will be loved”. A despedida, óbvio, não poderia ser outra: “Sugar” ecoou pela Cidade da Música com cada voz ali a plenos pulmões e em uníssono. Em um show que misturou baladas românticas e um pop dançante, o Maroon 5 foi capaz de extrair emoção, lágrimas e suspiros apaixonados de quem assistiu.


Homenagem à música preta é destaque no The One


A música preta foi a grande homenageada no The One nesta quinta-feira (7). A começar por Maria Rita, que abriu o show com uma pegada de jazz e depois seguiu para o samba. Um momento emocionante foi quando a artista apresentou “O bêbado e o equilibrista”, canção eternizada na voz de sua mãe, Elis Regina. A cantora trouxe ainda clássicos de Arlindo Cruz, “O show tem que continuar”, e Alcione, “Você me vira a cabeça”.


Angelique Kidjo levou ao The Town as tradições da África Ocidental de sua infância em Benin, com elementos de R&B, funk e jazz americanos, além de influências da Europa e América Latina. Vencedora de quatro Grammys, a artista colocou o público para dançar com “Africa, One of a Kind” e cantou sucessos como “Crosseyed and Painless” e “Once in a Lifetime”.


O terceiro a se apresentar no palco foi Masego, que trouxe um repertório romântico com canções como o sucesso “Navajo”, além de distribuir flores para o público. O jamaicano abusou do carisma e do talento, assumido o saxofone e também os teclados. Para agradar a plateia, o artista arriscou versos de brasileiros como Tim Maia, "Imunização Racional (Que Beleza)", Ivan Lins, "Abre Alas” e Trio Mocotó “Não Adianta".


Encerrando a noite no The One, o hitmaker Ne-Yo fez uma apresentação arrebatadora na Cidade da Música. Com um setlist repleto de grandes sucessos, o artista levantou o público que cantava todas as músicas do início ao fim. “Voltei para o ano 2000, para minha adolescência com esse show”, disse Joanne Rodrigues, 29, sobre a apresentação de Ne-Yo. A recifense, que atualmente mora em São Paulo, elogiou a performance do cantor e falou que ficou surpresa ao saber que o artista já escreveu para outras cantoras, como Rihanna e Beyonce.


Logo ao abrir o show, Ne-Yo mostrou todo o seu amor pelo Brasil ao subir no palco enrolado em uma bandeira do país. Durante a apresentação ainda convidou três fãs sortudas para danças ao lado dele. Com passos de dança e percorrendo toda a extensão do palco, o fôlego do cantor não parou em nenhum momento enquanto performava suas baladas romântica que explodiram nos anos 2000.



Feriado reúne famílias e apaixonados na Cidade da Música


O clima do The Town nesta quinta-feira (7) foi de completa festa e união. Famílias e casais aproveitaram o Dia da Independência do Brasil, feriadão do 7 de setembro, para passear pela Cidade da Música em uma tarde ensolarada antes do entardecer mais frio. É o caso da jornalista Luana Cruz, 24, e da mãe Cinthia Perduccini, psicóloga de 40 anos, que vieram diretamente de Curitiba, Paraná: “Minha mãe é muito fã de Maroon 5 e eu sou da Ludmilla. Viemos no último domingo para ver Bruno Mars e esticamos a estadia para curtir esses shows. Estamos bem animadas e esperamos que os dois shows sejam fantásticos”, disseram Luana e Cinthia.


No embalo de baladas românticas de Ne-Yo e Maroon 5, o casal Júlia Dias, 22, psicóloga e Lucas Melo, 24, psicólogo, vieram justamente para curtir esses dois shows de rostinho colado. “A gente já mora junto, aí marcamos de vir para curtir principalmente esses shows do final da noite. São muito bons e dá pra cantar no ouvidinho”, brinca Lucas.


O clima de romance também contagiou os que estavam na Capela Chilli Beans, situada na Rota 85. Juntos há quatro anos, Gustavo Brandão e Beto Soares, aproveitaram para celebrar o amor sob a benção de um cover de Freddie Mercury. Super aplaudido por quem aguardava na fila, o casal acredita que momentos como estes, proporcionados pelo The Town, ajudam na construção de um mundo com menos preconceito. “A cerimônia é simbólica, mas o nosso amor é real. Vivenciar tudo isso, numa primeira edição histórica do The Town, nos dá mais força de lutar em prol da comunidade LGBTQIAP+”, conta Gustavo, que, além de casar, está na expectativa de assistir ao show do cantor Ne-Yo, no Palco The One. Beto finaliza: “Se tiver capela no próximo The Town, a gente casa de novo. Nunca é demais celebrar a diversidade do amor”.



São Paulo Square recebe Ivan Lins e Stanley Jordan


Assim que o sol se pôs, as luzes do palco São Paulo Square começaram a anunciar a presença de um ícone da MPB que também faz jazz. Com mais de 50 anos de carreira, Ivan Lins foi ovacionado pelo público, desde a primeira canção, “Daquilo que Eu Sei”, perpassando por sucessos como Meu País, Vitoriosa, Desesperar Jamais e Madalena. Edson Alcântara, 45, coordenador de TI, estava entusiasmado por ver o ídolo pessoalmente, no conforto do São Paulo Square. "Vim ao The Town por causa dele. Um dos maiores da nossa música", confidenciou. Ivan Lins afirmou estar muito honrado em participar da 1.a edição do The Town, já que também fez parte do primeiro Rock in Rio. "Esse festival é nota mil."


Grande estrela da noite, Stanley Jordan fechou as apresentações do São Paulo Square, onde fez uma homenagem ao músico, Ivan Conti, mais conhecido como “Mamão" falecido este ano. Conti foi o baterista brasileiro da banda Azymuth e sempre tocou com Stanley. No telão, foram exibidas imagens do músico durante a música "Partido Alto", canção de José Roberto Bertrami e Azymuth. Mito do jazz, Jordan também surpreendeu público com uma versão da icônica canção da banda Led Zeppelin, Stairway to Heaven.


Aplicativo do The Town e transportes públicos: como se organizar para o festival



Com uma programação pensada para todas as tribos, a dica é se organizar para não perder nada. No aplicativo The Town o público consegue conferir os horários das atrações e criar uma agenda personalizada. O app conta com um mapa em realidade aumentada, produzido pela Context, que ajudará o fã a se localizar. Também é possível comprar antecipadamente o chope da Heineken, em uma ação inédita com a patrocinadora master do festival.



Por conta dos bloqueios das ruas no entorno do Autódromo, táxis, carros particulares e de aplicativo não conseguirão chegar ao local. A ação tem como objetivo garantir maior segurança de moradores da região e do público que vai acessar o festival. Por isso, a organização reforça o uso dos transportes públicos, com trens e metrô funcionando 24 horas nos dias de The Town. O desembarque do trem será na “Estação Autódromo”, que fica a menos de 700 metros de distância do portão de entrada, equivalente a 8 minutos de caminhada até a entrada – passando por acessos e percursos já dentro do Autódromo, pensados para que o fã já tenha atrativos assim que atravessar as catracas. Também haverá a linha de ônibus oficial do The Town, com saídas a cada 20 minutos, de sete pontos de embarque diferentes e com desembarque a 300 metros do portão de entrada da Cidade da Música. Para reservar vagas de ônibus e transportes coletivos nos bolsões de estacionamento acesse: https://www.coopark.com.br/estacionamento/estacionamento-estacao-via-mobilidade-the-town/?eventoId=2743



Pela primeira vez um festival terá o funcionamento 24 horas de toda a rede de metrô e trens de São Paulo. A partir da 00h00, durante os cinco dias de The Town, apenas a Estação Autódromo permanece aberta para embarque do público – sendo assim, todas as restantes funcionarão apenas para desembarque. Desta forma, o público não precisa se preocupar com a volta para casa, podendo aproveitar o festival até o fim e sair com segurança da Cidade da Música. Quem optar apenas pelo uso do serviço regular 24h poderá adquirir as passagens de ida e volta nas bilheterias físicas e nos demais canais oficiais do Bilhete Único e TOP até os dias de festival. As principais estações das linhas 4, 5, 8 e 9 oferecerão conexões com táxi e transporte por aplicativo durante todo o período de funcionamento. Além disso, algumas das estações terão disponíveis uma rede de estacionamentos integrados para ônibus fretados, vans e automóveis.


Outra novidade é a parceria pioneira com a ViaQuatro, ViaMobilidade Linha 5 e ViaMobilidade Linhas 8 e 9. Quem for ao The Town, além de poder utilizar as linhas 4, 5, 8 e 9 por 24h, terá alguns serviços especiais a disposição: a parceria prevê trens expresso para a ida e semiexpresso na ida e na volta do Autódromo. As passagens para os serviços especiais podem ser adquiridas apenas antecipadamente, através do site https://www.passaporte.viamobilidade.com.br. Os passaportes expressos custam a partir de R$ 40, enquanto os semiexpressos têm preços a partir de R$ 15. Os valores contemplam os bilhetes de ida e volta.


No momento da compra, será preciso escolher um dos serviços especiais, selecionando o horário de embarque e a estação de preferência. No dia do festival, as pessoas deverão apresentar o código da passagem para realizar o embarque e a validação para essas mobilidades será separada do serviço regular, por meio de QRCode. Os caminhos até a plataforma de embarque serão sinalizados e orientados por agentes das estações especialmente treinados, em áreas designadas nas plataformas das estações selecionadas, não interferindo no embarque dos passageiros dos serviços regulares.


Na volta, o expresso e semiexpresso serão unificados em um único serviço especial, possibilitando ainda que usuários possam desembarcar em estações diferentes daquelas usadas para seu embarque na ida ao evento. O código deverá ser apresentado na estação Autódromo para que todos retornem em segurança.


Outra forma de chegar à Cidade da Música é o serviço de ônibus oficial do The Town, que terá sete pontos de embarque em diferentes locais, com saídas a cada 20 minutos e desembarque a 300 metros do portão de entrada da Cidade da Música. Os valores das passagens de ida e volta custam entre R$ 10 e R$ 50, de acordo com o ponto de embarque escolhido, e os bilhetes já podem ser comprados por meio do site: https://www.ingresse.com/the-town-express-oficial.



O ônibus oficial do The Town, operada pela empresa RAAR, terá linhas expressas, ou seja, sem paradas no caminho, com 100% da frota adaptada para PDC. A compra da passagem é com horário pretendido, mas não obrigatório, sendo possível embarcar em um horário diferente do sinalizado. O bilhete será identificado por um QR Code e, no momento do embarque, o passageiro recebe uma pulseira que garante a volta. As partidas para a Cidade da Música acontecem entre 10h e 20h, com saídas a cada 20 minutos, e em sete pontos diferentes: Terminal Parque Dom Pedro II (Av. do Exterior, s/nº - SÉ), Terminal Barra Funda (Avenida Mário de Andrade ,664. Barra Funda. Junto à estação Palmeiras -Barra Funda), Aeroporto de Congonhas (Praça comandante Lineu Gomes - s/n, vila congonhas - São Paulo), Morumbi Parque (Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 16741 - Jardim Fonte do Morumbi), Terminal Vila Yara (V. dos Autonomistas, 500 - Vila Yara, Osasco), Terminal Itaquera - Shopping/Metrô (Avenida Dr. Luís Aires, s/n°) e Terminal Penha (Av. Cangaíba, 130 – Cangaiba).



Na saída da Cidade da Música, os ônibus estarão disponíveis para retorno a qualquer horário mediante a lotação do público. Todos os embarques serão encerrados e os veículos liberados mediante a capacidade máxima dos mesmos. O local de embarque será próximo do portão 9 do Autódromo de Interlagos, o mesmo do desembarque na chegada. Os passageiros receberão uma pulseira de identificação que será sua garantia de volta, portanto a mesma não pode ser violada.



Ingressos para a primeira edição do The Town estão disponíveis para ativação no aplicativo Quentro


As pessoas deverão baixar seu(s) ingresso(s) diretamente no seu smartphone utilizando o aplicativo Quentro, onde os ingressos ficarão salvos e poderão ser transferidos, se for o caso.




O Quentro, único app de ingressos aceito no acesso ao festival, é compatível com os aparelhos Android e iOS. Além disso, o app conta com um alto nível de segurança, sendo anticópia, rastreável e muito fácil de utilizar. O QR Code é constantemente e automaticamente atualizado e não serão reconhecidos no acesso prints de tela e impressões. O app funciona de forma offline e não é necessário ter internet no telefone para acesso ao festival.


O ingresso no Quentro já vem salvo com o nome de quem vai acessar o festival. Se a compra foi feita com intuito de presentear outra pessoa, ele é transferível através do próprio aplicativo informando o e-mail do recebedor. Após a transferência e aceite, o titular da compra não terá mais acesso ao ingresso transferido. Importante lembrar que a transferência só poderá ser realizada até às 23h do dia anterior do dia do show.



Na entrada do festival, basta abrir o aplicativo Quentro e selecionar o ingresso referente à data em questão. Em seguida deverá posicionar a tela do seu celular com a parte do QR code de frente para o leitor da catraca. Após estes passos, o fã estará apto a entrar na Cidade da Música e aproveitar todas as experiências que o evento oferece.



Cada ingresso digital só permitirá um único acesso às dependências do evento. Após o primeiro acesso, novas tentativas com o mesmo ingresso digital não serão autorizadas.



Saiba mais sobre o ingresso digital, aqui.



The Town já nasce gigante



Dos mesmos criadores do Rock in Rio, The Town estreia na grande metrópole no dia 2 de setembro de 2023, e segue durante os dias 3, 7, 9 e 10, no Autódromo de Interlagos, em uma área de 360 mil m2, que será totalmente renovada. O novo festival já se posiciona como um evento de grande relevância, não apenas para a capital paulista, como também para todo o Brasil.



Com previsão para receber cerca de 500 mil pessoas em mais de 235 horas de música, a Cidade da Música contará com seis palcos, onde o público poderá imergir em novas e inesquecíveis experiências. Com cenografia inspirada em ícones da arquitetura paulistana e apresentando uma diversidade única de ritmo e união de tribos, The Town chega a São Paulo com apoio, força e empoderamento de gente grande. De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, está previsto um impacto econômico de R$1.7 bilhão, o maior já visto na capital, além de gerar mais de 19 mil empregos diretos.



Uma Cidade que não dorme: The Town oferece entretenimento para todos



Com Post Malone, Maroon 5, Foo Fighters, Bruno Mars, Demi Lovato, Iggy Azalea, MC Cabelinho, MC Hariel, MC Ryan SP, Bebe Rexha, Alok, Luísa Sonza, The Chainsmokers, Joss Stone, Ludmilla, Yeah Yeah Yeahs, Garbage, Pitty, H.E.R., Kim Petras, Iza, Racionais & Orquestra Sinfônica Heliópolis, Criolo & Planet Hemp, Orochi & Azzy, Tasha e Tracie & Karol Conka, Seu Jorge, Leon Bridges, Ney Matogrosso, Matuê, NE-YO, Masego, Angélique Kidjo, Maria Rita, Wet Leg, Barão Vermelho convida Samuel Rosa, Detonautas, Terno Rei convida Fernanda Takai e Mahmundi, Jão, Gloria Groove, Pabllo Vittar convida Liniker e Jup do Bairro, Marina Sena canta Gal Costa, entre outros já confirmados no line-up, a nova Cidade da Música contará com espaços onde o público poderá usufruir da representação de elementos e locais emblemáticos da cidade.



O palco Skyline é inspirado nos grandes prédios da cidade paulista e é nele que artistas do mundo inteiro irão compor as quatro atrações do dia. O palco The One, será onde a música vai além da música. Com grandes artistas e uma cenografia de tirar o fôlego, inspirada nos museus de arte de São Paulo, os mais de 30 telões de LED que compõe o palco se transformarão em uma verdadeira experiência imersiva, prometendo um show à parte e entregando uma incrível experiência para o público. O palco também vai promover grandes encontros, dar luz a artistas de renome e provocar debates e reflexões.



Do Rio para São Paulo, o New Dance Order estará dedicado à música de pista, passando pelos gêneros house, techno, trance, bass e trap. Tão especial quanto os outros palcos, The Town também conta com a São Paulo Square, espaço inspirado na região em que a cidade foi fundada. Ali se reunirão alguns dos seus principais ícones históricos da arquitetura da cidade.



O festival também traz também os antigos galpões das fábricas para o palco Factory. O espaço terá o mood da cultura urbana com performances de street dance e shows de trap, hip hop e rap. Também não poderia faltar um espaço gastronômico que traz toda a diversidade da culinária paulista — o Market Square e, para completar a experiência, o festival abrigará também a Área VIP, espaço climatizado com buffet assinado por renomado chef e bar exclusivo.



Como num túnel do tempo, um dos locais mais encantadores e concorridos para cliques, selfies e totalmente “instagramável” do irmão carioca do The Town, o Rock in Rio, desembarca diretamente na Cidade da Música – a Rota 85. O espaço é dedicado ao ano que o Rock in Rio ganhou vida, 1985, e colocou o Brasil na rota dos shows internacionais, e estará em total sinergia com o The Town, que realiza sua primeira edição este ano.



O novo e maior festival de São Paulo também terá o “The Town - O Musical”. A produção inédita e concebida exclusivamente pelo time criativo de The Town — um “Originals” — tomará conta de um enorme Domo de 50 metros de diâmetro na Cidade da Música. Com criação de Roberto Medina, direção musical de Zé Ricardo, o festival dá vida a um novo espetáculo, que tem roteiro e direção artística de Charles Möeller. No espetáculo, o público vai ver de perto a história de um músico do interior de São Paulo que, ao ver na TV o anúncio de um novo festival, decide fazer as malas e embarcar em uma jornada pessoal, cultural e artística que o leva pelos diferentes bairros, ruas e cenários da capital, explorando cada recanto e cada ritmo que compõem a diversidade cultural paulistana.



Brinquedos gigantes e radicais estarão presentes na Cidade da Música, trazendo toda uma atmosfera mágica de parque de diversões para o local. Durante todos os dias do The Town, os fãs vão se divertir com a Roda Gigante, aproveitando a vista panorâmica da Cidade da Música; com o Megadrop e a Montanha Russa, as atrações mais emocionantes e divertidas do espaço; e com a Tirolesa, que vai passar na frente do Skyline, proporcionando uma visão privilegiada do palco.



Sobre a Rock World


A Rock World é a empresa criadora de experiências que nasceu do maior festival de música e entretenimento do mundo, o Rock in Rio. Com a missão de proporcionar experiências inesquecíveis através da música e do entretenimento, a marca tem como base de sua cultura corporativa a arte de sonhar, de fazer acontecer e inspirar as pessoas através da filosofia de construir um mundo melhor.


Hoje, além do Rock in Rio, a Rock World expandiu sua área de atuação para outros projetos de produção de experiências que abrangem diferentes áreas. No Live Entertaiment, a marca possui o The Town, o novo e maior festival de música, cultura e arte de São Paulo, que acontecerá no Autódromo de Interlagos, em setembro de 2023. A partir de 2024 a Rock World assume, em parceria com a C3, a produção e operação do Lollapalooza no Brasil.


Na área de Conteúdo, o Rock in Rio Studios é o produto que reforça o DNA da companhia para a criação de conteúdos audiovisuais originais e o posicionamento no mercado como uma marca ainda mais poderosa e potente de comunicação. A Rock World também atua na produção de espetáculos originais, os Originals. O primeiro deles foi desenvolvido em 2022 para o Rock in Rio, o Uirapuru, e para 2023 lança o The Town O Musical.


E para a área de Educação, o Humanorama, o Rock in Rio Academy e o The Town Learning Journey buscam ativar a potência das pessoas para contribuir na construção de um mundo melhor. Ao ampliar sua atuação para tantos campos e diferentes negócios, a Rock World é hoje uma das maiores empresas de criação e produção de conteúdo proprietário de Live Experience no mundo.

Comments


bottom of page